O Espiritismo e os Animais : Ciência ,Religião e Filosofia numa jornada de amor- pt2

O Espiritismo,  a Ciência e os Animais

Parte 2
Às vezes esbarramos com outra dificuldade, alguns amigos , sobretudo no que se refira a alimentação carnívora, simplesmente dispensam as demais obras que acaso façam citações contrárias ao abate de animais e se agarram unicamente a uma ou duas perguntas do Livro dos Espíritos, como se ele fosse uma lei a ser seguida. Se fossemos acreditar que somente as Obras Básicas estão corretas, como esses amigos desejam o tal “Purismo Doutrinário”, teríamos que esquecer  os livros de outros autores espirituais que se colocam contra o consumo de carne animal, muitos desses amigos espirituais que escreveram pelas mãos de Francisco Candido Xavier. Talvez o mais marginalizado de todos, devido a sua sensatez no trato do assunto e sua extrema sinceridade seja ainda Ramatis, apavorando aqueles que ainda não estão abertos às mudanças de nossa ciência terrena que comprovaram não somente a senciência [1]animal, mas sua  inteligência, dois motivos que antes, “permitiam” suas mortes pelos mais intelectualizados que eles.
Hoje, acreditar que a Doutrina não se opõe contra o consumo de carne, é negar-se a acreditar que o espiritismo avança todos os dias, é negar que em 200 anos nós também conseguimos evoluir – “caminhando com o progresso” – mesmo que pouco, porém o suficiente para começarmos a compreender que os animais, todos eles, são mesmo nossos irmãos e que devemos a eles um tratamento de respeito e amor. Não é assim que os anjos nos tratam? Não é assim que Deus nos trata? Não é para Ele que caminhamos? Se somos todos luzes da Luz Maior  como podemos cometer atos que vão contra sua bondade? Porque nos desconhecemos como luzes da Luz Maior. Devemos refletir então: Por quanto tempo ainda desejaremos nos esconder de nós mesmos, nós “homens do conhecimento”?
É claro que cada um tem sua necessidade ou mais corretamente dizendo, acredita que a tenha, porém é inerente na frase  “a carne nutre a carne”, que somos ainda seres mais pesados materialmente e que seremos mais leves ou menos densos, quanto mais nos afastarmos da alimentação carnívora. É para esse desprendimento da matéria que o Espiritismo trabalha. Ou não? O problema para alguns que ainda assim não conseguem ou mais apropriadamente dizendo, não desejam ver os animais como verdadeiros irmãos, é que para se chegar a Luz Maior não há outro caminho.
A frase “a carne nutre a carne” na verdade hoje, através dos conhecimentos que adquirimos sobre o que ocorre aos animais antes e durante o abate, tornou-se mais uma armadilha do que uma permissão para que continuemos a praticar essa violência brutal contra eles, ela é agora e talvez sempre tenha sido, uma armadilha contra nós mesmos. É essa “desculpa” que nos torna mais densos materialmente e é esse ser mais pesado  que se alimentará da carne, do que é igualmente feito, pois acredita que necessita dela para sobreviver, tal como os irmãos desencarnados que se agrupam ao redor daqueles que fumam, bebem ou ingerem a carne ainda acreditam que necessitam desses vícios mesmo fora do fardo carnal. Como ainda nos desconhecemos não conseguimos ver uma infinidade de outros alimentos igualmente “densos”, porém isentos de qualquer crueldade, que serviriam ao nosso corpo material e que nos alimentariam ainda melhor: as frutas e os legumes são exemplos disso. Ao repetirmos sem pensar “ a carne nutre a carne” esquecemos de ver que defendemos uma bandeira que nos força a ficarmos mais pesados, mais distantes da liberdade espiritual que buscamos todos os dias quando oramos a Deus pedindo perdão por nossos atos, ou quando auxiliamos aquele próximo que se encontra em dificuldade. Não notamos que ao dizermos isso na verdade estamos dizendo que “ a carne de nosso irmão de jornada, nutre o nosso insaciável instinto predatório“  e assim estamos nos colocando como seres densos, violentos, ávidos pela morte de nosso irmão e isso é algo sobre o que devemos urgentemente nos debruçar afim de realizarmos uma maior reflexão.
Ao que parece queremos nos despir dessa carne densa, materialmente pesada, então por que não caminhar com o progresso e ver agora a frase “ a carne nutre a carne”  como um passo vencido  na evolução – ou a ser vencido -, ao invés de um escudo para que continuemos a nos preocupar somente com a alma dos animais e não com o momento que antecede seu desencarne, sobretudo dentro dos abatedouros? Porque estamos acostumados a ouvir alguns oradores dizerem que “não há mal em se comer um bifinho”, mas ignoramos que esses comentários “gentis” nunca surgem seguidos das imagens que ocorrem dentro de um matadouro de animais, nem do som emitido por eles no momento em que antecede seu assassínio, porque isso chocaria alguns espíritas, devotados samaritanos de Deus.
Vamos reler juntos algumas questões do Livro dos Espíritos, tecer alguns comentários entre o Livro dos Espíritos e a Realidade concreta que já conhecemos a respeito do que acontece aos animais, somente para tentar esclarecer este que é um passo a ser vencido em nosso progresso e porque usamos nossa fraqueza como o escudo de nossos medos:  o Vegetarianismo.
Para conjecturarmos para a próxima parte , deixo aqui uma questão que deve ser refletida com muito carinho:
 1) O que é Deus?
 R. Deus é a Inteligência suprema, força “Primária” de todas as coisas.
NOTAS


[1] Capacidade sentir física e psiquicamente, ou seja, capacidade de percepção as dores e as emoções.

Referência Bibliográficas

Allan Kardec – Livros dos Espíritos
F. Nietzsche. Genealogia da Moral
Simone Nardi
Redação do Informativo Irmãos Menores Animais
Anúncios

Um comentário em “O Espiritismo e os Animais : Ciência ,Religião e Filosofia numa jornada de amor- pt2

  1. Os Animais.
    1)Existe nos animais um principio inteligente em evolução para o reino hominal, assim como o homem esta evoluindo moralmente e intelectualmente para o reino angelicó, os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva devemos Amar e Respeitar os animais.
    Somente pessoas maldosas e ignorantes de baixo nível evolutivo pode maltratar um pobre animal indefeso.
    Quem maltrata e mata covardemente animais, vai gerar para si mesma um Karma de sofrimentos, tormentos e dores em futuras reencarnações.
    Quem planta o mal vai colher o mal.
    Vejamos as palavras de Emmanuel sobre os animais.
    Sobre os animais, Emmanuel, através da psicografia de Chico Xavier, declara no capítulo XVII, no livro Emmanuel (FEB, 1983): “… Sou dos que os estudam atenta e carinhosamente. (…) E como o objetivo desta palestra é o estudo dos animais, nossos irmãos inferiores, sinto-me à vontade para declarar que todos nós já nos debatemos no seu acanhado círculo evolutivo. São eles nossos parentes próximos, apesar da teimosia de quantos persistem em o não reconhecer. (…) Recebei como obrigação sagrada o dever de amparar os animais na escala progressiva de suas posições variadas no planeta. Estendei até eles a vossa concepção de solidariedade e o vosso coração compreenderá, mais profundamente, os grandes segredos da evolução, entendendo os maravilhosos e doces mistérios da vida.”

    2)Vejamos as palavras de Chico Xavier sobre os animais.
    Um amigo perguntou ao Chico qual o animal mais evoluído espiritualmente e dele anotou a resposta:
    – É o cão. O cão desperta muito amor e é modelo de fidelidade. As pessoas que amam e cultivam a convivência com os animais, especialmente os cães, se observarem com atenção, verificarão que os vários espécimes são portadores de qualidades que consideramos quase humanas, raiando pela prudência, paciência, disciplina, obediência, sensibilidade, inteligência, improvisação, espírito de serviço, vigilância e sede de carinho, infundindo-nos a idéia de que, quanto mais perto se encontram das criaturas humanas, mais se lhes assemelham, preparando-se para o estágio mais próximo da hierarquia espiritual.
    Segundo o iluminado Espírito Emmanuel os animais são nossos parentes próximos, com sua linguagem, seus afetos e sua inteligência rudimentar.
    Chico Xavier respondendo a uma pergunta sobre os animais, disse:
    – Nossos benfeitores espirituais nos esclarecem que é preciso que todos nós consideremos que os animais diversos, a nos rodearem a existência de seres humanos em evolução no planeta Terra, são nossos irmãos menores, desenvolvendo em si mesmos o próprio princípio inteligente.
    Se nós, seres humanos já alcançamos os domínios da inteligência desenvolvendo agora as potências intuitivas, eles, os animais, estão aperfeiçoando paulatinamente seus instintos na busca da inteligência da mesma maneira que nós humanos aspiramos alcançar algum dia a angelitude na Vida Maior, personificada em nosso mestre o Senhor Jesus, eles, os animais aspiram ser num futuro distante homens e mulheres inteligentes e livres. Assim sendo, nós podemos nos considerar como irmãos mais velhos e mais experimentados dos animais.
    Deus outorgou aos homens a condição e proteção de nossos irmãos mais novos, os animais

    3) Veja o que os grandes Mestres falaram sobre os animais.

    Em meu pensamento, a vida de um cordeiro não é menos importante que a vida de um ser humano
    “Há muito de verdade no dito de que o homem se torna aquilo que come. Quanto mais grosseiro o alimento tanto mais grosseiro o corpo
    “A vivissecção é o pior de todos os piores crimes que o homem está atualmente cometendo contra Deus e sua bela criação.”
    “A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados.” – Mahatma Gandhi

    “A carne é o alimento de certos animais. Todavia, nem todos, pois os cavalos, os bois e os elefantes se alimentam de ervas. Só os que têm índole bravia e feroz, os tigres, os leões etc. podem saciar-se em sangue. Que horror é engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos.”
    “Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor.”
    “Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma.” – Pitágoras

    “O homem implora a misericórdia de Deus mas não tem piedade dos animais, para os quais ele é um deus. Os animais que sacrificais já vos deram o doce tributo de seu leite, a maciez de sua lã e depositaram confiança nas mãos criminosas que os degolam. Ninguém purifica seu espírito com sangue. Na inocente cabeça do animal não é possível colocar o peso de um fio de cabelo das maldades e erros pelos quais cada um terá de responder.” –
    “Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas”.
    “Todos os seres vivos tremem diante da violência. Todos temem a morte, todos amam a vida. Projete você mesmo em todas as criaturas. Então, a quem você poderá ferir? Que mal você poderá fazer?” – Buda

    Perguntamos Gandhi, Pitágoras e Buda são pessoas ignorantes e burras??????
    Gostaria de uma resposta.

    4) Vejamos o grave alerta de Ramatis.
    Em verdade, o principal objetivo de “Magia de Redenção” é advertir aos terrícolas, quanto à sua tremenda responsabilidade espiritual pelo derrame de sangue de animais e aves através de matadouros, frigoríficos, charqueadas e açougues, cuja barbárie “civilizada” gera cruciante carma humano e torna-se a principal fonte de infelicidade terrena. Enquanto sangue do irmão menor verter tão cruelmente na face da terra, os espíritos desencarnados também terão farto fornecimento de “tônus vital” para a prática nefanda do vampirismo, obsessão e feitiçaria. Sob a justiça implacável da Lei do Carma, a quantidade de sangue vertida pelos animais e aves, resulta, pela ação reflexa, em igual quantidade de sangue humano jorrado fratricidamente nos morticínios das guerras e guerrilhas! Cada matadouro construído no mundo proporciona a encarnação de um “Hitler” ou “Átila”, verdadeiros flagelos, semeadores de sofrimento da humanidade, como executores inconscientes da lei cármica, – a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória! Jamais a guerra será eliminada da face da terra, enquanto explorardes a “indústria da morte” mediante esses abomináveis matadouros e frigoríficos de aves e animais, pois estes, como os homens, são filhos do mesmo Deus e criados para a mesma felicidade. A Divindade não seria tão estuta e injusta, permitindo que o homem dito racional seja feliz enquanto massacrar o irmão menor, indefeso e serviçal, pois ele também sente!
    Ademais, os espíritos diabólicos que obsidiam, vampirizam e enfeitiçam, são os irmãos desencarnados ainda escravos da ignomínia do carnivorismo, tal qual fazeis atualmente. Em verdade, é bem diminuta a diferença entre os vampiros desencarnados, que se satisfazem com o sangue cru, e os vampiros encarnados, que preferem come-lo ou bate-lo até transforma-lo em chouriço de rótulo dourado! Infeliz humanidade terrena, ainda escrava de um círculo vicioso, em que os “vivos” dotados de razão trucidam os “vivos” irracionais para beber-lhes o sangue e devorar-lhes as carnes; e então, depois, enfrentam o cruciante sofrimento de verem os filhos ou parentes para o massacre organizado dos campos de batalhas! Estadistas, filósofos, psicólogos, sacerdotes, lideres espiritualistas e governos tem gasto toneladas de papel e rios de tinta em congressos, campanhas, empreendimentos e confraternizações para implantarem a paz do mundo e festejando tais congraçamentos com banquetes de vísceras sangrentas de aves e de animais, cujo sangue vertido é exatamente a causa da infelicidade das guerras! A Divindade jamais poderia rebaixar o seu espírito de justiça e de amor por todos os seres, concedendo a paz e a ventura ao homem racional, que firma a sua existência sobre os escombros sangrentos do irmão menor!
    Convertem-se os terrícolas em escravos do mundo oculto ao servir de “repastos vivos” dos espíritos tenebrosos, vinculados às paixões mais aviltantes! Por isso, o enfeitiçamento e a obsessão alastram-se no vosso mundo, nutridos pelo sangue derramado das aves, dos animais e dos próprios homens massacrados carmicamente nas guerras abomináveis! Jorra o sangue nos pisos dos matadouros e aviários modernos sob os gemidos cruciantes dos animais e aves indefesos; mas jorrará também o sangue humano nas ruas, praças, lares e campos floridos sob a lei de causa e efeito do Carma!
    Ramatis

    Ramatis explica muito bem essa questão de matar ou sacrificar pobres animais, isso vai gerar o Karma das guerras, os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva.
    Ramatis explica: Em verdade, o principal objetivo de “Magia de Redenção” é advertir aos terrícolas, quanto à sua tremenda responsabilidade espiritual pelo derrame de sangue de animais e aves através de matadouros, frigoríficos, charqueadas e açougues, cuja barbárie “civilizada” gera cruciante carma humano e torna-se a principal fonte de infelicidade terrena.
    Uma outra questão importante.
    Os espíritos de Luz ou espíritos elevados não precisam de coisas matérias, eles estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, portanto, quem pede essas coisas matérias como, charutos, cigarros, velas, cachaça, despachos, sacrifícios de inocentes animais, são espíritos desencarnados ainda apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, espíritos moralmente atrasados e muitos desses espíritos podem ser maldosos e obsessores, cuidado!
    Vejamos as palavras de Chico Xavier sobre essa questão.
    Para espíritos de luz, ou seja, espíritos superiores e puros, não existem necessidades materiais. Os espíritos que trabalham nos terreiros, em sua grande maioria, são aqueles que ainda guardam grandes necessidades das sensações terrenas e por isso usam os médiuns para absorvelas; quando não têm, fazem-no através dos despachos. São, na classificação da Doutrina Espírita, chamados de espíritos mais simples. É claro que existem aqueles outros que, mesmo tendo condição moral mais elevada,
    manifestam-se nos terreiros de Umbanda, guardando os procedimentos ali adotados.

    Chico Xavier fala, que os Espiritos de Luz não possuem necessidades matérias.
    Os espíritos elevados e os bons espíritos jamais vão pedir coisas matérias como, charutos, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, somente espíritos apegados a matéria é que pede tais absurdos.
    Os animais merecem o nosso respeito.
    Para atrair a assistência luminosa dos espíritos elevados temos que criar condições morais positivas, cultivar pensamentos elevados e nobres, cultivar a prece sincera, cultivar o amor e a caridade, cultivar a honestidade, cultivar a humildade, cultivar o respeito pelos animais, temos que combater as nossas imperfeições morais, combater os vícios, combater os maus desejos e maus hábitos, dessa forma a pessoa entra em sintonia com os Espiritos Superiores e passa a ter as orientações desses espíritos luminosos.
    O Bem vai atrair o Bem.
    A Virtude vai atrair a virtude.
    O mal vai atrair o mal.
    O vicio vai atrair o vicio.
    Tudo é uma questão de sintonia ou afinidade moral.
    Nesses ambientes que predomina o uso de charutos, cigarros, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, o campo vibratório é baixo e denso, as pessoas que estão nesses ambientes só tratam de assuntos matérias vulgares, assuntos sem elevação moral, assuntos como volta da pessoa amada, melhoria nos negócios, ter um bom emprego, ganhar dinheiro, sorte com as mulheres e os trabalhos para prejudicar os desafetos.
    Tais assuntos vão atrair pela sintonia vibratória dos pensamentos os espíritos desencarnados que estão apegados a matéria, espíritos moralmente atrasados e muitos desses espíritos podem ser maldosos, maliciosos, astutos, debochados, embusteiros e obsessores.
    Os espíritos elevados só tratam de assuntos nobres e importantes para nossa melhoria Moral e espiritual, eles pregam o Amor, a caridade, a honestidade, a educação, a disciplina, a elevação dos pensamentos, o respeito pelos animais, o desinteresse, os espíritos elevados são virtuosos em seus ensinamentos.
    Os espíritos elevados pregam as Virtudes e a elevação Moral.
    Os espíritos elevados ou espíritos de Luz pregam o amor e o respeito pelos animais, não esquecem disso.

    Como disse Ramatis.
    Convertem-se os terrícolas em escravos do mundo oculto ao servir de “repastos vivos” dos espíritos tenebrosos, vinculados às paixões mais aviltantes! Por isso, o enfeitiçamento e a obsessão alastram-se no vosso mundo, nutridos pelo sangue derramado das aves, dos animais e dos próprios homens massacrados carmicamente nas guerras abomináveis! Jorra o sangue nos pisos dos matadouros e aviários modernos sob os gemidos cruciantes dos animais e aves indefesos; mas jorrará também o sangue humano nas ruas, praças, lares e campos floridos sob a lei de causa e efeito do Carma!

    E Emmanuel disse.
    “… Sou dos que os estudam atenta e carinhosamente. (…) E como o objetivo desta palestra é o estudo dos animais, nossos irmãos inferiores, sinto-me à vontade para declarar que todos nós já nos debatemos no seu acanhado círculo evolutivo. São eles nossos parentes próximos, apesar da teimosia de quantos persistem em o não reconhecer. (…) Recebei como obrigação sagrada o dever de amparar os animais na escala progressiva de suas posições variadas no planeta. Estendei até eles a vossa concepção de solidariedade e o vosso coração compreenderá, mais profundamente, os grandes segredos da evolução, entendendo os maravilhosos e doces mistérios da vida.”

    Perguntamos.
    Ramatis e Emmanuel são ignorantes e burros??????
    Gostaria de uma resposta.
    Qual é a sua resposta???

    Quem planta o mal vai colher o mal.
    Wilson Moreno discípulo do Mestre supremo Jesus o Cristo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s