” HISTÓRIA E ATIVIDADES DO GRUPO IRMÃOS ANIMAIS, SP “

” HISTÓRIA E ATIVIDADES DO GRUPO IRMÃOS ANIMAIS ”
O Grupo foi fundado no dia 10 de maio de 2010 e segue as orientações deixadas por Marcel Benedeti , onde a caridade com todos os seres da criação está em primeiro lugar , sem nunca sair dos preceitos da Doutrina Espírita , a qual ele sempre foi fiel .
Conhecemos o Trabalho Espiritual com os animais em 2007 , na Casa em que o Marcel era um dos fundadores do Trabalho . A Miriam Lúcia já trabalhava na Casa , eu , Ivany Lima , era assistida com minha cachorra Natasha . Entrei para o grupo no início de janeiro de 2008 .
Por motivo de doença , em abril de 2009 , o Marcel havia se afastado por 1 mês . Quando retornou , tudo havia mudado na casa . Por não concordar com as mudanças e por divergências , ele se desligou do trabalho . Pouco tempo depois , pelos mesmos motivos e para apoiar o Marcel , a Miriam e eu nos desligamos também .
Depois de um tempo afastadas , conseguimos um lugar para retomarmos o trabalho junto com o Marcel . O Grupo Espírita Auta de Souza nos cedeu bondosamente o espaço . Infelizmente . o Marcel desencarnou no dia 1 de fevereiro de 2010 , antes que pudéssemos inaugurar o nosso trabalho . Ele era um Líder , um Mestre para nós , e não sabíamos como continuar sem ele .
Assumimos o trabalho em maio de 2010 e o programa na radio desde o final de 2009 , a pedido do Marcel , e ficamos em definitivo depois de seu desencarne , a pedido de sua esposa Cláudia , que queria que continuássemos o trabalho dele da melhor forma possível .
Muitos passaram pelo nosso grupo mas não continuaram .
Contamos com a ajuda do companheiro José Luiz e sua esposa Sônia e com os amigos do Grupo Espírita Francisco de Assis de Sorocaba uma vez por mês em nossos trabalhos .

” ATIVIDADES DO GRUPO ”
1- Nosso site :
www.marcelbenedeti.com . Tudo sobre a Espiritualidade dos Animais dentro da Doutrina Espírita
2- Nosso e mail marcelbenedeti@terra.com.br . Especial para tratamento à distância , dúvidas , comentários…..( Para tratamento , informe o nome do animal , raça , idade , motivo do tratamento , nome do tutor e endereço )
3- Grupo Irmãos Animais para tratamento presencial
Rua Força Pública 268 – Santana – SP – Todas as segundas às 20:00hs
4- Programa Nossos Irmãos Animais pela Radio Boa Nova
Todas as sextas as 16:30hs no 1450 AM ou pela internet
www.radioboanova.com.br
5- Programa Irmãos Animais pela Tv Web Luz
www.tvwebluz.com.br
6- Blog da companheira Patrícia Santos
http://nossosirmaosanimais-geas.blogspot.com.br/

grupo irmãos

Anúncios

Conheça o Santuário para onde os porquinhos resgatados ,em acidente no Rodoanel SP, foram levados.

Os porcos que sobreviveram ao tombamento da carreta em que estavam durante a madrugada de terça-feira (25) no Rodoanel, na altura de Barueri (SP), foram levados para um santuário de animais em São Roque. O G1 teve acesso ao local com exclusividade, na manhã desta quarta-feira (26), onde os bichos, todas fêmeas que pesam entre 200 kg e 300 kg, estão sendo mantidos. Até então, a entrada da imprensa não era permitida pelos ativistas.

Porcos foram levados por ativistas para santuário em São Roque (Foto: Jomar Bellini / G1)
Porcos foram levados por ativistas para santuário
em São Roque (Foto: Jomar Bellini / G1)

Segundo um balanço divulgado pelo grupo de ativistas que estão cuidando das porcas, dos 110 animais que eram transportados pela carreta, 19 morreram no local, 22 não resistiram aos diversos ferimentos depois do resgate e 47 estão no santuário. Os outros 22 porcos foram levados pela empresa dona da carga antes da chegada dos ativistas, ainda segundo os protetores de animais e foram levados para um matatadouro. O endereço não foi divulgado.

Os animais que já passaram por atendimento ficam em uma área de manejo, em um dos campos do santuário. Cerca de 30 porcos já tinham sido transportados de um galpão durante a noite, onde passam por tratamento médico para a área de abrigo. O terreno onde os animais estão é um pasto, onde recebem comida e água.

“Alguns chegaram mortos e grande parte deles chegou com a pata fraturada. Temos animais com tumores de mama e supomos que pelo menos duas estão prenhas. Alguns animais não estão nem levantando“, conta a proprietária do santuário, Cintia Frattini em entrevista ao G1. Vegetariana – e posteriormente vegana – há mais de 40 anos, há 30 ela se dedica ao cuidado e ativismo animal sendo oito somente no santuário. “Os porcos ainda apresentam agitação e um pouco de agressividade por conta de todo o ocorrido”, comenta.

Cintia ressalta ainda que o local, que é aberto, ainda precisa de adaptações, como a construção de uma cobertura para que as porcas não fiquem expostas ao sol, além de uma área com lama. Com a pele sensível, isto pode prejudicar os animais. “Precisamos disso pelo menos provisóriamente até que eles sejam doados”.

Acompanhamento
Segundo ela, os animais ainda estão passando por acompanhamento veterinário para ver o estado de saúde de cada um. “Infelizmente, pelo estado em que chegaram, alguns animais terão que ser sacrificados. Eles já sofreram demais com tudo isto. Sofrem desde que nasceram, tratados de forma extremamente desumana lá no abatedouro, então não tem porque adiarmos isto. O ideal neste caso é abreviar o sofrimento”, explica.

Como foram criados para frigorífico, ela explica que os animais estão com marcas de cortes nas orelhas e nos rabos e sem as presas.

Pelo menos 85 pessoas passaram a noite no santuário em São Roque para ajudar no cuidado com os animais. Segundo conta Cintia, o grupo é formado por veterinários, estudantes de medicina veterinária, protetores de animais e outros ativistas.

Um grupo de plantonistas se revezam no local para cuidar dos bichos. “A pessoa que come carne é responsável por isso também. A comoção nacional foi linda, mas acaba sendo uma hiprocisia. Esse acidente foi só a ponta do iceberg, o final da história. Espero que isto sirva como um ícone de uma luta”, critica.

Doação de alimentos
A ativista dona do santuário conta que vem contando com a ajuda de voluntários também para manter os animais no local. Além de água, segundo ela podem ser doados alimentos como bolacha velha, pão vencido, fubá, farinha, arroz, verduras, rações de animais. “Porco come de tudo. Estamos aceitando qualquer coisa”, diz.

Como o endereço do local é mantido em sigilo, por conta da segurança das porcas, a recomendação de Cintia é que sejam criados pontos de coleta para organizar a entrega dos alimentos. “O santuário não é um zoóligico, por isso não está aberto para visitação. Então pedimos que as pessoas organizem pontos de coleta e venham em dois ou três voluntários ou liguem pedindo para ir buscar”, explica.

‘Vaquinha’ para os porcos
Os ativistas criaram um projeto de crowdfunding para ajudar a financiar alimento, medicamentos e o abrigo para os animais resgatados.

O objetivo era reunir R$ 50 mil, mas quando o valor estava próximo de ser alcançado, aumentou para R$ 200 mil, e agora está em R$ 300 mil. Até a publicação desta reportagem o valor arrecadado já passava de R$ 155 mil. Segundo os organizadores, como não há uma previsão de quanto será necessário, estão tentando angariar o máximo possível de fundos.

Entenda o caso
O acidente ocorreu por volta das 3h40 e a pista chegou a ficar totalmente interditada na saída para a Castello no sentido interior. Às 11h, duas faixas foram liberadas para o tráfego de veículos. No horário, havia 3 km de filas no local, do km 11 ao km 14. Em uma das tentativas de desvirar a carreta os animais ficaram ainda mais machucados quando o resgate não conseguiu erguer a carga e a carroceria despencou com os animais dentro.

O drama dos animais chegou ao fim quando a concessionária conseguiu um caminhão com a ideia de tirar eles de dentro do tombado para colocar em outro, após conseguir erguer a carroceria do veículo. Na operação de resgate, os bombeiros foram acionados para cortarem as grades da carroceria. Tudo foi acompanhado por um grupo de ativistas.

Voluntários passaram a madrugada cuidando dos animais em São Roque (Foto: Divulgação/Vista-se.com.br)
Voluntários passaram a madrugada cuidando dos
animais (Foto: Divulgação/Vista-se.com.br)

Vários grupos se mobilizaram para resgatar os animais, que ficaram mais de sete horas presos na carreta. Depois de serem retirados da carreta, os porcos foram levados até São Roque em veículos improvisados. “Forramos tudo com feno para eles não se machucarem ainda mais, porque são animais pesados, difíceis de transportar. Estamos fazendo o possível”, diz.

Com relação ao destino dos suínos, Cíntia acrescenta que eles deverão ficar lá até serem doados para pessoas que não comam carne. “São pessoas que vão passar por uma boa triagem e só poderão adotar com essas condições”, salienta.

Cintia cuida dos animais resgatados com apoio de voluntários (Foto: Jomar Bellini / G1)

Cintia cuida dos animais resgatados com apoio de voluntários (Foto: Jomar Bellini / G1)

 

Assista vídeo do Santúario no G1 e veja como ajudar os porquinhos resgatados : http://glo.bo/1K3xVl7

 

Animais ainda possuem marcas de machucados devido ao acidente (Foto: Jomar Bellini / G1)

Animais ainda possuem marcas de machucados devido ao acidente (Foto: Jomar Bellini / G1)

 

Fonte: Jomar Bellini Do G1 Sorocaba e Jundiaí

http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/index.html

 

Ativistas se mobilizam para resgatar porcos feridos no Rodoanel,SP.

Grupo organiza projeto de crowfunding para custear comida e remédios.
Animais estão sendo levados para santuário no interior de São Paulo.

Ativistas de proteção aos animais se mobilizaram para resgatar os porcos feridos em um acidente com uma carreta no trecho oeste do Rodoanel, em Barueri, na Grande São Paulo.

A carreta vinha de Uberlândia, em Minas Gerais, e seguia para um frigorífico em Carapicuíba. De acordo com o relato de testemunhas, o motorista perdeu o controle do veículo após desistir de passar por uma cabine do pedágio na altura do km 14. A saída dá acesso às regiões de Barueri, Alphaville e Carapicuíba.

Os animais devem ser transportados para um santuário em São Roque e os ativistas criaram um projeto de crowdfunding para ajudar a financiar alimento e medicamentos. O objetivo é reunir R$ 50 mil, já que não há uma previsão de quanto será necessário.

“É uma situação realmente extrema”, disse Douglas Fernandes, membro da Associação Sempre Pelos Animais de São Roque. O veículo transportava 110 animais. “Eu acredito que dois terços estejam vivos”, afirmou.

Alguns dos animais ainda estão presos nas ferragens. “Todos estão machucados, uns mais e outros menos. Alguns têm pernas quebradas, outros estão bem ralados. Vão precisar de tratamento veterinário”, conta Fernandes.

Parte dos porcos já está a caminho de um santuário que já abriga 400 outros animais. Para evitar retaliações, o local do santuário não será divulgado, mas, de acordo com a administração do sítio, o objetivo é cuidar dos porcos até que encontrem doadores definitivos.

Equipe de resgate tentam socorrer porco que se feriu no tombamento da carreta (Foto: TV Globo/Reprodução)

Equipe de resgate tentam socorrer porco que se feriu no tombamento da carreta (Foto: TV Globo/Reprodução)

 

Fonte:G1

Drones usados em missões militares protegem animais na Costa Rica.

Drones utilizados em missões militares no Iraque e no Afeganistão hoje fazem parte do projeto de uma organização ambiental da Costa Rica, que busca proteger tartarugas e tubarões em risco de extinção no Pacífico.

Em uma experiência piloto recente, o Programa de Restauração da Tartaruga Marinha (Pretoma) uniu um drone, um submergível de profundidade, sonares e outros recursos de alta tecnologia para estudar os padrões migratórios dos tubarões-martelo e das tartarugas marinhas que transitam pela Ilha do Coco, na Costa Rica, disse em entrevista à AFP o diretor da organização, Randall Arauz.

A esse esforço se uniram organizações não-governamentais e empresas privadas, que forneceram os recursos na esperança de proteger essas espécies, cujas populações diminuíram drasticamente.

A empresa americana Precision, que presta serviços especiais para o exército dos Estados Unidos em zonas de guerra, forneceu um drone para detectar a presença de barcos pesqueiros que operam de forma ilegal nessa área.

“O trabalho que a Pretoma faz é de grande importância. A Precision tem muita experiência em encontrar os ‘bandidos’ e queremos ajudar com nossas habilidades e recursos a melhorar o mundo de uma maneira diferente”, disse à AFP a gerente do Projecto UAV (Unmanned Aerial Vehicle) da Precision, Charissa Moen.

A executiva disse que os drones podem voar sem serem vistos, detectar os pescadores ilegais e recolher as provas necessárias para que sejam condenados por tribunais.

A aeronave também está equipada de câmeras infravermelhas que seguem os movimentos de baleias e tubarões em águas superficiais, informação útil para os objetivos da investigação.

A organização Dalio Ocean Initiative forneceu um submarino e barcos infláveis para uma parte essencial do projeto: a localização das rotas seguidas pelas tartarugas e tubarões-martelo, dise Arauz.

“Observamos que os tubarões se movem entre a Ilha do Coco (a cerca de 500 km a sudoeste da Costa Rica) e as Ilhas Galápagos (no Equador), ao longo de uma cordilheira vulcânica submarina chamada Las Gemelas, com cerca de 600 km de comprimento”, explicou o ambientalista.

Caso essa observação seja confirmada, ficaria demonstrado que entre a Ilha do Coco e Galápagos existe um corredor biológico utilizado por essas espécies, descoberta que segundo Arauz “teria grande importância para sua conservação”.

O corredor da vida

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), entre 73 e 100 milhões de tubarões morrem anualmente pela sobrepesca, destinada a satisfazer a demanda de barbatanas do mercado asiático.

Essa exploração intensiva coloca em perigo de extinção várias espécies desse peixe, forma de vida com 400 anos de existência graças à sua grande capacidade de adaptação, mas que não está conseguindo acompanhar a voracidade humana.

Diversas pesquisas científicas revelam também uma diminuição da chegada de tartarugas-de-couro e outras espécies às praias de nidificação em todo o continente americano, em alguns casos de até 90%.

“Agora são feitos muitos esforços para proteger as tartarugas e o tubarão-martelo, mas é difícil protegê-los na imensidade do mar. Mas se confirmarmos que há corredores biológicos, podemos concentrar os esforços e conseguir resultados mais eficazes”, explicou o ambientalista.

Recentemente, utilizando os submarinos da Dalio Ocean Initiative, a organização Pretoma instalou um receptor de ondas sonoras a 180 metros de profundidade acima da cordilheira submarina Las Gemelas, com o qual poderá seguir o rastro de uma centena e meia de tubarões e tartarugas que receberam implantes com dispositivos emissores dessas ondas.

O plano é completo com os sistemas de acompanhamento desenvolvidos por outras ONGs internacionais, como a Missão Tubarão, nas Ilhas Galápagos.

“Acreditamos que esta pesquisa nos dará argumentos para pressionar os governos da Costa Rica, Colômbia ou Equador pela proteção das espécies ameaçadas nesse corredor”, disse Arauz.

Recursos: problema central

Os drones e submarinos não ficarão na Ilha do Coco de maneira permanente e também não é necessário que seja assim, disse Arauz, que considera que duas ou três visitas ao ano será suficiente.

As equipes e suas operadoras são assunto resolvido, pois tanto a Precision como a Dalio se comprometeram a trabalhar de forma gratuita, mas os custos de transportar as máquinas e o pessoal da Costa Rica até a ilha são muito elevados.

O governo “nos dá todo o apoio na gestão dos recursos necessários para a continuidade do projeto e estamos concentrados nisso”, disse.

Com os recursos disponíveis poderia se transformar em um santuário natural uma das regiões mais ricas em biodiversidade marinha no mundo, onde existem não só muitas tartarugas e tubarões, mas centenas de espécies de peixes e outras formas de vida.

 

© Fornecido por AFP (Arquivo) Drones utilizados em missões militares no Iraque e no Afeganistão hoje fazem parte do projeto de uma organização ambiental da Costa Rica, que busca proteger tartarugas e tubarões em risco de extinção no…

© Fornecido por AFP (Arquivo) Drones utilizados em missões militares no Iraque e no Afeganistão hoje fazem parte do projeto de uma organização ambiental da Costa Rica, que busca proteger tartarugas e tubarões em risco de extinção no…

Mulher viaja milhares de quilômetros para adotar cachorra que salvou sua vida.

Parece que o destino uniu Georgia com a cachorra Pepper porque ambas precisavam de ajuda. E o resultado não poderia ter sido melhor!

O encontro aconteceu quando Georgia estava passando as férias com o namorado em Creta, a maior ilha da Grécia. Mas foi em um momento de sufoco.

Durante uma caminhada sozinha, ela foi abordada por dois homens. Quando Georgia rejeitou as investidas, eles se tornaram agressivos. Um deles agarrou seu braço e tentou puxa-la para longe dali.

A mulher conta que a cachorra Pepper apareceu do nada e pulou no homem, que fugiu por causa do susto.

A corajosa cadela ainda acompanhou Georgia até o apartamento onde ela estava hospedada e se tornou companheira do casal durante toda a viagem.

Quando chegou o momento de voltar pra casa, Pepper seguiu o carro do casal. Com certeza é uma cena de cortar o coração, mas Georgia achou que não poderia fazer nada pela cachorra.

Depois de duas semanas, ela decidiu que precisava voltar para resgatar a cachorra.

Então, Georgia pegou o primeiro voo para Creta e encontrou Pepper na mesma praia que se conheceram.

Depois de tomar as vacinas, colocar um microchip, tirar a documentação necessária e respeitar a quarentena de 21 dias, a cachorra Pepper chegou ao seu novo lar na Inglaterra.

E a história ficou ainda mais emocionante: ninguém sabia, mas a cadela estava grávida e seus bebês nasceram uma semana depois.

Ou seja, Georgia não salvou apenas uma vida, mas várias!

Fonte: Bark Post

georgia-cachorra-resgate-02 georgia-cachorra-resgate-03

 

 

 

Em palestra de Sérgio Moro, entrada será doação de ração para cachorros.

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na 13ª Vara Criminal Federal no Paraná, participará de uma palestra na Academia Paulista de Direito Criminal (APDCRIM) no próximo dia 29. Curiosamente, a entrada para a palestra custa R$ 20 ou a doação de 5 quilos de ração para cães.

O material recolhido será doado para o abrigo “Latido Feliz de Suzano”, informa o site da academia. Segundo a APDCRIM, o juiz confirmou a participação na palestra, que versará sobre o mecanismo da colaboração premiada – um dos principais instrumentos utilizados na investigação da Lava Jato.

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo julgamento das ações da operação Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo julgamento das ações da operação Lava Jato

 

 

Fonte: Uol

Centro espírita para animais faz psicografia e cirurgias espirituais.

Local recebe mais de 400 animais de estimação todos os domingos.
Donos também buscam receber notícias dos bichinhos que já morreram.

Quem tem um animal de estimação em casa, sabe: quando eles ficam doentes dá um aperto no coração! E se o bichinho morre as pessoas sofrem, bate uma tristeza, saudade. Em São Paulo, quem está passando por situações como essas encontrou um novo conforto.

“Noventa e nove por cento das vezes ele bate a cabeça. Você toca a campainha e ele vai fazer festa ele sai batendo em tudo que estiver no caminho”, conta a administradora Carla Souza Pereira.

O Tim Maia, um labrador de sete anos e meio, perdeu parte da visão depois de uma forte anemia e de problemas no fígado.

O Tim Maia é bonzinho, quietinho. Mas, quando ele ouve o barulho da comida ele fica desesperado. Só que como ele não está enxergando, ele tem dificuldade de chegar lá e vai se batendo até chegar ao lugar onde tem a comida.

Já o problema da Frida, uma fêmea da raça buldogue francês de dois anos, é enxergar coisas demais.

“Ela ficava tão transtornada com a sombra que ela acabou emagrecendo. Ela não comia direito. Está incomodada com o reflexo no chão da água”, diz o contador Rodrigo Bellan.

A Frida e o Tim Maia estão em tratamento veterinário. A buldogue toma remédios para problemas neurológicos e o labrador tem até uma caixa de medicamentos.

“Eu faço tudo o que for necessário para ele ter o melhor que a gente puder dar para ele”, afirma Carla Souza Pereira.

Os donos buscaram novos tratamentos para os bichinhos e chegaram até uma pequena casa, na Zona Norte de São Paulo.

O Tim Maia e a Frida se juntaram aos mais de 400 animais de estimação que lotam o lugar todos os domingos.

“A gente trouxe ela aqui porque ela estava com algumas dores cervicais, acordava de noite. A gente nem dormia de tanto que ela gritava”, lembra a estudante Thainá Colucci Alves.

“É como se fosse um filho pra mim. Tudo o que a gente não quer é ver ele continue a sofrer”, diz a advogada Miriam Oliveira, emocionada.

O lugar é um centro espírita que atende animais, todos eles.

“Nós já recebemos primatas, nós já recebemos cobras, nós já recebemos tartarugas e ratos”, afirma Sandra Denise Calado, presidente do centro espírita.

Primeiro, donos e bichinhos precisam assistir a uma palestra.

“Eu peço a todos que mantenham os animaizinhos próximos de vocês para que não ocorra nenhum desentendimento entre um focinho e outro”, explica uma médium.

Depois do pedido, acabam os latidos e miados. Quando o caso é mais simples, o bichinho toma um passe. “Que envolva nossos queridos irmãozinhos em muita luz. E vamos ao passe”, diz a médium.

As voluntárias, pessoas aptas a darem o passe, posicionam as mãos sobre os bichinhos.

“Como se fossem energias boas, trabalhando os locais doentes. Eles têm sentimentos, eles têm emoções. Não são coisas, são seres”, explica Sandra Denise Calado.

Os mais doentes passam por outro tipo de tratamento. “São casos mais graves ou casos que seriam cirúrgicos no corpo físico. E a cirurgia é feita no corpo espiritual do animalzinho”, diz Sandra Denise Calado.

No centro, todos os atendimentos são de graça. O local funciona com doações e com a renda de uma lanchonete.

Chegou a vez do Tim Maia. O Fantástico foi autorizado a acompanhar a sessão, que é fechada. “Junto ao nosso mestre Jesus, médico de todas as almas, e Francisco de Assis, médico das almas animais, solicitamos ao Senhor a oportunidade de servir ao nosso irmão”, reza Sandra Denise Calado.

Enquanto os donos oram, a Sandra, presidente do centro, começa a cirurgia. Segundo a Sandra, um espírito vai operar através dela.

Não há cortes nem instrumentos cirúrgicos. As mãos simulam os movimentos de uma operação. Era a cirurgia da Frida. O procedimento dura um minuto e meio.

Sandra Denise Calado: Que assim seja, meu filho.
Rodrigo Bellan: Que assim seja.

Aos domingos, o centro abre as portas às 7h da manhã. Às 13h ainda tem gente por lá, mas por um outro motivo. “Eu vim receber notícia dele”, diz a escrevente Aracélis Espigado.

O Cacau, o cachorro da Aracélis, morreu há dois meses de um câncer no fígado.

O Fantástico acompanhou a psicografia, o momento em que os donos dos animais ficam aguardando notícias dos bichinhos que morreram.

A Sandra e outras duas médiuns dizem receber mensagens dos animais que já se foram. As notícias seriam ditadas pelos espíritos que cuidam desses bichinhos no plano espiritual. Depois são passadas aos donos.

“Acalma seu coração que ele está bem. Ele foi tão bem amparado, ele foi tão bem assistido. Ele está bem e vocês estão se encontrando”, diz uma médium à Aracélis.

Fantástico: Essa mensagem te deu algum conforto?
Aracélis Espigado: Eu fiquei muito feliz de saber que ele está amparado, porque essa é a maior preocupação que a gente tem.

“Desde que ele virou estrelinha eu não paro de chorar. 45 dias. Fiquei muito feliz de ele estar amparado porque essa é a maior preocupação que a gente tem”, conta Aracélis.

Esse tipo de psicografia não é consenso dentro da própria doutrina espírita. “Eu acho um pouco de exagero isso. Não acredito que haja esse tipo de comunicação”, diz Julia Nezu Oliveira, presidente da União das Sociedades Espíritas de São Paulo.

Os outros tratamentos, como o passe e a cirurgia espiritual, também são questionados.

“Eu acredito que o animal possa receber alguma vibração, algum efeito, que é resultado do nosso carinho, do nosso amor. Mas eu não acredito que o passe possa fazer o efeito que faria em um ser humano”, afirma Julia Nezu Oliveira.

“No Brasil, a única profissão, o único profissional que tem essa responsabilidade e a capacidade, habilidade e competência para poder tratar dos animais é o médico-veterinário”, explica Benedito Fortes de Arruda, presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária.

A Sandra também é veterinária. Por isso, orienta os donos dos bichos. “O tratamento espiritual não dispensa o tratamento médico-veterinário”, diz ela.

Apesar das polêmicas, os donos do Tim Maia e da Frida vão continuar indo ao centro.

Carla Souza Pereira: Ele tem excelentes médicos no plano físico e eu tenho certeza de que ele está com excelentes assistentes lá no plano espiritual.
Fantástico: Está tendo algum efeito?
Carla Souza Pereira: Eu acredito que sim.
Rui Reis, técnico de segurança do trabalho: Eu sou um pouco mais cético. Eu acho que pode ser que ajude, sim. É um recurso que a gente está usando. O que tiver de recurso a gente vai usar.

Fantástico: Você sentiu uma melhora?
Rodrigo Bellan: Senti. Ela acaba se acalmando quando ela retorna do centro. E, para mim, eu deixo todos problemas dentro do centro. Tanto angústias, nervosismo. E volto com paz, volto com amor, com alegria.

Centro Espirita para Animais

 

OBS: Eu particularmente achei lamentável e de pouca fé, o depoimento da Julia Nezu de Oliveira, presidente da união das sociedades espiritas de SP. Assim  como do Benedito Fortes de Arruda, presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária. Acho que os dois estão precisando renovar seus conceitos. #prontofalei.