Cão comunitário de Nova Friburgo ganha família após enchente na região; conheça a história de carinho do pet.

Pet com comportamento arredio encontrou novo lar e vive cheio de amigos e carinho. Confira!

Infelizmente, ainda é comum ver cãezinhos abandonados pelas ruas das cidades, mas um deles ganhou destaque e chamou atenção dos moradores de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro: o Lobinho. O animal de grande porte e extremamente bonito viveu por aproximadamente 10 anos pelas rua, conhecido como um frequentador assíduo da Avenida Alberto Braune, uma das principais da cidade. Apesar da sua beleza logo chamar atenção de quem passava pelo local, o temperamento, por vezes arisco e não muito sociável, não ajudava nas muitas tentativas de adoção do pet, que sempre escapava e voltava para as ruas.

Diferente da maioria dos animais de rua, no entanto, Lobinho sempre teve uma relação especial com os moradores de Nova Friburgo, que o adotaram como o “cão comunitário” e se dividiam entre tarefas como dar banho, alimentar e cuidar da saúde, além de encontrar abrigo em uma agência bancária, onde os funcionário permitiam sua permanência. Foi a tragédia que atingiu a região em 2011 que mudou por completo a vida do cãozinho. Durante a enchente, uma comerciante se solidarizou com os pets que viviam na rua e resolveu fazer o possível para ajudá-los.

“Na madrugada da tragédia, quando estávamos em nossa loja tentando salvar as mercadorias da enchente, acabamos percebendo o desespero desses cães que frequentavam a rua, sem saber o que fazer. Acabamos abrigando três cães no segundo andar da loja, e por fim vimos que o Lobinho também estava em apuros. Após várias tentativas, conseguimos prendê-lo numa corda – o que não foi fácil, por seu temperamento e também por ele estar nervoso com a situação – e acabamos levando-o conosco pro nosso apartamento, aonde ele passou a noite abrigado”, contou o casal Claudia Lessa Cereja, comerciante e Frank Frossard Sanglard, engenheiro e professor. No dia seguinte, no entanto, Lobinho voltou para as ruas, mas desta vez com mais dois novos amigos.

Mobilização da população ajudou Lobinho a encontrar novos tutores

O “porto seguro” de Lobinho continuou sendo a agência bancária por mais algum tempo, até que um cliente reclamou da permanência do cãozinho, alegando ter sido atacado. “A agência pediu para a prefeitura que o recolhesse ou ‘desse um jeito’ nele. Esta informação mobilizou um grande número de pessoas em relação à causa ‘Lobinho’, para que não fosse eutanasiado nem enviado para um abrigo”, contou o casal Claudia e Frank. Foi então que um jovem da região teve a ideia de criar uma página no facebook para ajudar o amado cãozinho. O perfil “Lobinho, o cão comunitário de Nova Friburgo”, já conta com mais de 2 mil seguidores mobilizados com sua história.

Com medo do que aconteceria com Lobinho, os seguidores da rede social se uniram para procurar um abrigo temporário para o cãozinho. O casal Claudia e Frank, que já haviam cuidado do pet anteriormente, resolveram abrir mais uma vez a porta da sua casa. Mas dessa vez tudo foi diferente: eles se apaixonaram pelo cachorrinho e nunca mais o deixaram ir embora. “A intenção era apenas abrigá-lo por uns dias, pois já tínhamos feito isto na tragédia, e o que aconteceu foi que, na verdade, encontramos os melhores adotantes para o Lobinho dentro de nossa casa: nós mesmos”, contaram.

Casal afirma que Lobinho está mais amável e feliz em novo lar

Provando que tudo que faltava em sua vida era um lar cheio de amor e carinho, Lobinho logo se estabilizou em sua nova casa e hoje não apresenta mais comportamento arredio e se tornou um pet bem mais sociável, convivendo bem com o casal e até mesmo mantendo sua ótima relação com os amigos que fez pela cidade de Nova Friburgo. “Fomos conhecendo seus hábitos, pois resolvemos mantê-los para que não deprimisse, como encontros com amigos na rua, lugares que frequentava e frequenta até hoje, pessoas que o alimentavam e que fazemos questão de deixá-lo em contato até hoje, em visitas e encontros semanais”, afirmou o casal Claudia e Frank.

O novo comportamento do cãozinho, mais alegre e sociável, influenciou até mesmo na escolha de seu nome. Logo que foi adotado, o pet mais famoso de Friburgo respondia por diversos nomes, como: General, Napoleão, Delegado, Playboy. O preferido dos novos tutores, no entanto, foi Lobinho, já que o pet gosta de uivar como um lobo quando está muito feliz, coisa que faz com uma frequência ainda maior atualmente. “Hoje posso dizer que o Lobinho adora a sua vida, pois não perdeu as referências do passado. E também posso dizer que ele é um dos cães mais amorosos, carinhosos e fiéis que já tivemos”, contaram os novos tutores do cãozinho comunitário.

lobinho

 

 

 

 

Fonte: Msn.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s