TESTES EM ANIMAIS* (Psicografia recebida em 2013)

“Estamos tristes por ver a que ponto vocês estão chegando, justificando as pesquisas para a VIDA com a MORTE de seus irmãos menores.

A Ciência, que tem comprovado tudo o que nós espíritos já o dissemos desde o surgimento do universo, NÃO DEPENDE TÃO EXCLUSIVAMENTE DO SACRIFÍCIO PARA PROVAR O QUE DE FATO EXISTE, e sim, com pesquisas mais INTELECTUALIZADAS evitando principalmente o extermínio de uns para justificar os outros.

As enfermidades que hoje, e de há muito tempo existem, NÃO JUSTIFICAM A MORTE DE NINGUÉM PARA A DESCOBERTA DE UMA CURA.

O estudo do GENOMA, que hoje avança foi por inspiração Divina, com o objetivo de que utilizem o vosso INTELECTO, a sabedoria e através da NOVA ERA da tecnologia em vosso tempo, irá trazer as respostas assertivas com as prováveis curas aos males causados por vós mesmos.

Somos favoráveis à pesquisa, ao diálogo sereno na busca de soluções positivas pela vida SEM A MORTE DE QUEM QUER QUE SEJA.

VOCÊS TÊM TODA UMA FLORA QUE CONTÉM TODAS AS RESPOSTAS NOS SUBSTRATOS QUÍMICOS, DANDO SUBSÍDIOS BENÉFICOS AOS MEDICAMENTOS PARA SEUS MALES.

Em vez de digladiarem ferindo e sendo feridos, unam-se com o propósito de buscar alternativas inteligentes para o fim deste triste capítulo, de uma tese de justificar a VIDA com a MORTE de outrem.

OS IRMÃOS ANIMAIS SENTEM A MESMA DOR QUE VOCÊS, SENTEM OS MESMOS MALES QUE VOCÊS, SABEM QUANDO ESTÃO INDO PARA O SACRIFÍCIO, APENAS NÃO PODEM FALAR PARA SE DEFENDEREM.

COMO PODEM JUSTIFICAR A CURA PROVOCANDO A DOENÇA EM OUTROS IRMÃOS?

Criem incentivos para novas pesquisas através da tecnologia que avança em todos os campos, e NÓS INSPIRAREMOS AOS QUE IRÃO TRAÇAR NOVOS RUMOS PARA O DESCOBRIMENTO DAS CURAS SEM QUE SE PERCA UMA SÓ VIDA.

Uma sociedade serena e espiritualizada é o marco da Evolução.

OLHEM PARA OS PEQUENINOS QUE SÃO DIRECIONADOS PELOS CAMINHOS EM BUSCA APENAS DO JUSTO E DO NECESSÁRIO AO SEU SUSTENTO, PROTEÇÃO E PRESERVAÇÃO DA PRÓPRIA ESPÉCIE”.

Perdoem-me se neste texto venhamos a ferir alguém, mas tenham a certeza que não será mais do que já ferimos os nossos irmãos animais.

—————————————

(Mensagem enviada pelo espírito YOSSEF ao Grupo Fraternal Francisco de Assis)

http://www.anda.jor.br/01/11/2013/que-a-paz-esteja-com-todos

 

angel animals

Anúncios

Polvo, lula e outros invertebrados são capazes de sentir dor, diz estudo.

Trabalho constatou a presença de nociceptores – terminações que transmitem estímulos prejudiciais ao sistema nervoso central.

TEXAS (EUA) – Um novo estudo concluiu que os animais que fazem parte do grupo dos cefalópodes, como lulas e polvos, são capazes de sentir dor. O trabalho foi realizado pelo cientista Robyn Crook, da Universidade do Texas. Ele constatou a presença de nociceptores – terminações das células nervosas que transmitem rapidamente estímulos potencialmente prejudiciais para o sistema nervoso central.

Crook também descobriu que os polvos demonstram muito do comportamento relacionado com a dor, como a proteção da parte do corpo que foi ferida. Esses animais também são os mais propensos a recuar e esguichar sua tinta quando tocados perto de uma ferida.

As lulas, no entanto, sentem dor de forma diferente. Pouco tempo depois do ferimento de uma barbatana, os nociceptores se tornam ativos não só na região da ferida, mas em uma grande parte do corpo. Isso sugere que, quando se sente a dor, em vez de ser capaz de identificar a localização da ferida, eles apresentem grande chance de ferir outros animais.

Ao contrário do polvo, os tentáculos da lula não podem chegar a muitas partes do seu corpo. Por isso, eles não poderiam cuidar de um ferimento, mesmo sabendo onde foi a lesão.

A pesquisa complementa um trabalho anterior feito pelo cientista Robert Elwood, professor de comportamento animal da Universidade de Queen, em Belfast, na Irlanda do Norte. O estudo mostrou que caranguejos e lagostas provavelmente também sentem dor:

Segundo o pesquisador, caso seja aplicado um breve choque elétrico a uma parte de um caranguejo, ele irá esfregar o local por um longo período com suas garras.

– Camarões jovens, lagostas e caranguejos são capazes de contorcer seus membros em posições incômodas para alcançar as lesões. Esse comportamento envolve claramente o sistema nervoso central – diz Elwood em entrevista à publicação “Popular Science”.

Ainda segundo os pesquisadores, é razoável concluir que, se pequenos crustáceos podem sentir dor, o mesmo pode acontecer com alguns insetos – que podem ter sistemas nervosos de porte semelhante.

Polvos são capazes de proteger partes do corpo que foram feridas BOBBY YIP/REUTERS Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/ciencia/polvo-lula-outros-invertebrados-sao-capazes-de-sentir-dor-diz-estudo-11882722#ixzz2wWzb4hae  © 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Polvos são capazes de proteger partes do corpo que foram feridas BOBBY YIP/REUTERS
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/ciencia/polvo-lula-outros-invertebrados-sao-capazes-de-sentir-dor-diz-estudo-11882722#ixzz2wWzb4hae
© 1996 – 2014.

Fonte: http://oglobo.globo.com/ciencia/polvo-lula-outros-invertebrados-sao-capazes-de-sentir-dor-diz-estudo-11882722