Atenção!!!!Fugiu de um carro em plena FIOCRUZ, Manguinhos,RJ, dia 25 de Setembro.Gratifica-se quem localizá-la, está prenhe!!!

 

 

 

 

ESSA GATINHA ASSUSTADA FOI RESGATADA DAS RUAS PARA TER SEUS FILHOTINHOS NUM LUGAR SEGURO, MAS INFELIZMENTE FUGIU. ELA NÃO É ACOSTUMADA COM PESSOAS, E POR ISSO CORRE RISCO DE SER MALTRATADA ENQUANTO ESTIVER PERDIDA. QUALQUER INFORMAÇÃO POR FAVOR ENTRE EM CONTATO:85953677/33252341 com Cristina. Fugiu dentro da Fiocruz, Manguinhos, RJ!

Americana atira no marido para proteger seus gatos,Caso ocorreu em Houston, no estado do Texas. Homem havia ameaçado atirar em um dos gatos.

Uma mulher de 42 anos foi presa em Houston, no estado do Texas (EUA), após atirar no marido para proteger seus gatos, segundo reportagem da emissora de TV “Kens 5”.

De acordo com a polícia, Audrey Deen Miller baleou o marido porque ele ameaçou atirar em um dos seus gatos.

O marido foi levado para o hospital, mas não corre risco de morte. Os gatos não ficaram feridos.

 

Desinformação e preconceito: Matéria do jornal O Globo faz campanha contra gatos na Barra da Tijuca, no RJ.

Por Aparecida Negreiros (em colaboração para a ANDA)

A situação de má conservação do piso no Quebra-Mar, no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, tem sido motivo de queixa dos moradores, mas também está servindo como campanha contra os gatos do local. Duas matérias publicadas com informações incompletas no Jornal O Globo, uma em abril e outra em agosto, estão contribuindo para um serviço de desinformação e preconceito contra os animais.

A menina Lígia com o gatinho Manhoso, um de seus vários amigos gatos do Quebra-Mar. (Foto: Eduardo Assumpção)

As matérias da jornalista Leandra Lima sugerem a retirada dos gatos do Quebra-Mar, mas a conclusão que se tem chegado em várias partes do mundo é que, ao contrário do que se imagina e que se pretende, a transferência de colônias de felinos, seja feita por qual método, não elimina de forma efetiva a presença dos mesmos naquela localidade. Retirar uma colônia de gatos deixa o território livre para ser novamente colonizado. Novos gatos tomarão o lugar dos anteriores e os problemas antigos regressarão (o chamado “efeito de vácuo”). No entanto, castrar os gatos da colônia e deixá-la no seu território quebra este ciclo de repovoamento. Os felinos são extremamente territoriais e, ao adotarem certo território, geralmente não permitem que outros felinos dali se aproximem. Essas informações são baseadas em instituições de referência no assunto como a “Feral Cat Coalition” de San Diego, na Califórnia, Estados Unidos.

Reprodução de matéria veiculada pelo site de O Globo, em 12/04/2012 a outra matéria foi veiculada em 16/08/2012. (Foto: Reprodução)

Enquanto se discute a situação do Quebra-Mar alguns cidadãos, como Ana Claudia Cardoso, cuidam ou cuidaram por um período dos felinos do local. Ana explica que os gatos estão quase todos castrados e vai adiante:

– Castrados com o dinheiro do nosso bolso, trabalho que deveria ser realizado pela prefeitura. Os gatos são alimentados todos os dias e levados ao veterinário, quando necessário, também com dinheiro do nosso bolso. Sempre que possível são colocados para adoção, também por nós. Nossos potes de água são constantemente jogados fora, por uma pequena quantidade de pessoas. Isso se chama falta de respeito, falta de educação e cultura. Não temos gatos doentes. Temos algumas pessoas que os ameaçam com pedras, paus, cacos de vidro. Reclamar de bichos, hoje em dia, é cafona, fora de moda, e não cabe mais no mundo que estamos vivendo!

Cristina Palmer, advogada e vice-presidente da ONG Oito Vidas completa:

– Animais castrados e cuidados, como é o caso dos animais do Quebra-Mar, não expõem pessoas a doenças. Muito pelo contrário. Eles ajudam a conter a população de animais rasteiros, ratos e outros que, somados à urina, fezes e lixo (de humanos) que se espalham nesta cidade, poderia se tornar um desastre e, com certeza, expõem todos nós a doenças.

A colaboração da mídia é fundamental para que fique pública a real situação desses gatos, que têm direito à vida e fazem parte da cidade do Rio com o status de animais comunitários, e estão, portanto, devidamente protegidos pela lei Nº 4.956, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2008.

O gato Teco, que está castrado, passeia contente no local onde mora, o Quebra-Mar. (Foto: Ana Cardoso)

Mas não é só no Quebra-Mar onde é possível constatar esforços para cuidar dos animais abandonados. Cada vez mais pessoas, empreendimentos e condomínios estão se mobilizando para castrar, alimentar e manter os animais. Essa nova atitude é uma resposta ao triste resultado da negligência e da irresponsabilidade das pessoas que, no momento apropriado, não castraram os seus animais, permitindo uma procriação desenfreada. Portanto cuidar de animais abandonados nas ruas vai além da proteção animal. É um trabalho de ética, respeito pela vida e saúde pública. E por falar em saúde, é comum usar o argumento da Toxoplasmose para apavorar as pessoas na tentativa de remover gatos. Conforme Maria Regina Reis Amendoeira, Pesquisadora Titular Chefe do Laboratório de Toxoplasmose do Instituto Oswaldo Cruz, citada na matéria do jornal O Globo de agosto sobre os gatos do Quebra-Mar, escreve em seu artigo: A importância dos animais de produção na infecção por Toxoplasma gondii no Brasil:

“A toxoplasmose … tem sido usualmente atribuída à ingestão de carnes cruas ou mal cozidas, de animais de produção infectados, sendo a taxa de infecção destes animais de grande importância para o estudo desta protozoose… Animais infectados possuem grande quantidade de cistos do parasita em variados órgãos e músculos e estes não são detectados durante a inspeção da carne nos abatedouros. Esta revisão enfatiza aspectos da protozoose em suínos, caprinos e ovinos, bovinos, equinos e aves visando esclarecer o potencial de cada espécie como fonte de infecção do parasita, principalmente no Brasil.”

Portanto é importante destacar o risco de contrair toxoplasmose por meio da ingestão de carne crua ou mal passada. Ressaltando que no Brasil muitos abatedouros são clandestinos, nesses locais faltam condições adequadas de higiene, sofrimento de animais e riscos para a saúde humana. A mídia tem um importante papel na sociedade, pois a disseminação das informações corretas pode facilitar a união de esforços na busca e concretização de soluções. Quem sabe todos nós, cidadãos, possamos ser contemplados de uma próxima vez com uma matéria sobre não abandono e posse responsável de animais, importância de castração no controle populacional de cães e gatos, consumo sem crueldade contra animais. Uma matéria que fale sobre a convivência humana respeitosa com os animais. Segundo uma publicação da prefeitura de Curitiba, humanizar uma cidade significa que uma nova consciência deve ser assumida: a de que TODOS os seres têm direito à vida, à liberdade e à expressão de comportamentos próprios de sua espécie. Portanto, devem ser tratados com dignidade.

Para saber mais sobre as reportagens do jornal O Globo acessar os links:

http://oglobo.globo.com/barra/quebra-mar-na-barra-esta-cheio-de-gatos-4626503
http://oglobo.globo.com/barra/quebra-mar-esta-sujo-malconservado-5797962

 

 

Fonte:  Anda.jor

 

Divulgada data de estreia do filme francês “A.L.F.”, sobre a Frente de Libertação Animal

A história de pessoas que arriscam tudo pelos animais

Está marcada para o dia 07 de novembro de 2012 a estreia do filme “A.L.F.” nos cinemas da França. O drama vai contar a história de ativistas que arriscam tudo para salvar animais em ações diretas. Leia a matéria completa sobre este filme publicada em março (clique aqui), aqui no ViSta-se. A história segue a linha do documentário “Behind The Mask” (Atrás da Máscara) e do drama “Bold Native” (Coragem Nativa). Ainda não há previsão para o lançamento no Brasil.

Sinopse: O que aconteceu na noite de 24 de dezembro? Isto é o que quer descobrir o Capitão da Polícia Olivier Chartier. Para entender o final da história, ele terá que voltar 48 horas antes. Poderia ter sido um dia normal, seguido de uma noite de véspera de Natal como as outras… Não é para Frank: professor de teatro modesto, Frank faz parte de um comando sem nome, sem líder: uma resistência na qual os ativistas se alinharam atrás de um objetivo, uma causa: a libertação animal.

Estes personagens são impulsionados por uma empatia inabalável para os animais vítimas de abuso, e terão coragem de enfrentar a preparação final para uma operação. Todos, sem dúvida, estão ansiosos, às vezes perdendo o chão… porque o fracasso não é uma opção e as consequências na chegada estão longe de ser desprezáveis. Seu objetivo: libertar cães condenados a serem vendidos a laboratórios envolvidos na vivissecção. Sua filosofia: quando alguma coisa ultrapassou os limites razoáveis​​, então você deve esquecer o que é legal, para servir o que parece certo.

Trailler (francês com legendas em inglês)

Se preferir, assista ao trailler em HD no Youtube. | Página do filme no Facebook 

 

 

Fonte: Vista-se