‘Maior perda é minha gata’, diz dono de imóvel incendiado em Copacabana.

“Minha maior perda é a morte da minha gata, Pretinha. Ela dormia do lado da cama, ao meu lado. Estou muito triste mesmo por causa da minha gata, com vontade de chorar. Não estou chateado por causa dos quadros, mas por causa da minha gata que morreu”

 

“Minha maior perda é a morte da minha gata, Pretinha. Ela dormia do lado da cama, ao meu lado. Estou muito triste mesmo por causa da minha gata, com vontade de chorar. Não estou chateado por causa dos quadros, mas por causa da minha gata que morreu”, disse o artista plástico e um dos maiores colecionadores de arte Jean Boghici, que teve o apartamento da Rua Barata Ribeiro Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, destruído por um incêndio.

Perícia é realizada, nesta terça-feira (14), no apartamento do marchand Jean Boghici, após incêndio ocorrido na noite de segunda (13) (Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo)Perícia é realizada, nesta terça-feira (14), no apartamento do marchand Jean Boghici, após incêndio ocorrido na noite de segunda (13), em Copacabana (Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo)

Entre as principais obras de arte de um acervo de mais de cem peças, que estavam no apartamento, três quadros de Tarsila do Amaral – “O sono”, “Sol poente” e uma paisagem de Paris – se salvaram intactos. Mas quadros como “Samba”, de Di Cavalcanti, de 1925, considerada uma das maiores obras do pintor, e “A floresta”, de Guignard, se perderam nas chamas. Segundo o marchand muitas obras importantes se salvaram e poderão ser recuperadas.

“Meu sentimento é de raiva e de vingança contra o destino. Por isso vou fazer uma bela exposição”, disse Boghici, que se prepara para fazer a exposição de inauguração do Museu de Arte do Rio, na Praça Mauá., com inauguração prevista para novembro.

Segundo o realizador da exposição, Leonel Kaz, que esteve no apartamento incendiado, a força do marchand de 84 anos vem do rico acervo que ele colecionou ao longo de mais 50 anos. Segundo ele, muitas obras foram preservadas do fogo e muitas poderão ser recuperadas no prazo de 90 a 100 dias, para a exposição.

“Grande parte das obras estariam na exposição, ele iria mostrar pela primeira vez essa coleção extraordinária”, disse Kaz.

Peritos do Corpo de Bombeiros estão no apartamento incendiado fazendo vistoria no local. Mais cedo, por volta das 9h, peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) estiveram no apartamento por uma hora e vinte e cinco minutos fazendo a perícia. Os policiais recolheram material, como parte da fiação elétrica, para análise.

O subsecretário de Defesa Civil municipal, Márcio Motta, informou que os dois andares do apartamento estão interditados. O rebaixamento de gesso do teto desabou e a fiação elétrica está totalmente comprometida. No entanto, não foram verificados danos estruturais nem no apartamento nem no prédio.

Perícia
A francesa Geneviève, mulher do marchand romeno Jean Boghici, viu a fumaça no imóvel e pediu ao porteiro do edifício Príncipe de Nassau para chamar os bombeiros. A informação é da síndica do prédio, Regina Lobato, que esteve no local na manhã desta terça-feira.

A cobertura duplex do casal pegou fogo no início da noite de segunda-feira (13). Há suspeitas de o incêndio ter começado em um aparelho de ar-condicionado. O dano pode ser milionário.

A síndica informou que a Defesa Civil liberou o prédio, que é de um apartamento por andar, na noite de segunda. Apenas a cobertura ficou interditada. Os sistemas de água e luz já foram normalizados. Ainda de acordo com Regina Lobato, o prédio possui seguro e os proprietários do imóvel incendiado também possuem seguro.

A empresa que administra o prédio, a ML Administradora, vai realizar uma vistoria paralela.

Ar-condicionado
No começo da madrugada, o dono do imóvel, tentou entrar no apartamento, mas foi impedido pelos bombeiros. Dentro do imóvel havia uma valiosa coleção de artes. Ele, a mulher e a filha não tiveram ferimentos.

A babá Francisca Maria Ferreira da Silva diz que viu quando o fogo começou. “Quando eu olhei estava pegando fogo no ar-condicionado. O fogo estava pequenininho ainda, estava pouquinho ainda, a chama. Aí foi se espalhando, se espalhando, o tempo foi passando. A chama ficou imensa dentro do apartamento, saindo para fora aquelas chamas enormes, e começou a cair tudo”, contou a mulher.

Moradores do prédio tiveram que sair às pressas, mas ninguém ficou ferido. A estudante Corina Pitombo disse que todo mundo ficou desesperado e que muitos idosos moram no edifício.

Segundo o Corpo de Bombeiros, foram quase duas horas para combater totalmente o incêndio que atingiu a coleção de Jean Boghici com obras de grandes artistas do século XX. Ainda não se sabe o tamanho do prejuízo causado pelo fogo.

 

Fonte:  http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2012/08/maior-perda-e-minha-gata-diz-dono-de-imovel-incendiado-em-copacabana.html

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s