Sarcoma Felino em local de injeção.

Sarcoma Felino em local de aplicação (antigo Sarcoma pós vacinal)

 

O fibrossarcoma é uma neoplasia (“câncer”) maligna que acomete um tipo de célula chamada fibroblastos e pertence ao grupo dos sarcomas das partes moles. Os sarcomas das partes moles são neoplasias (“câncer”) que podem se desenvolver de uma grande variedade de tecidos, como gordura, músculo, tecido fibroso, vasos e nervos. Estas neoplasias se geralmente são nódulos firmes e aderidos a pele ou músculo, sendo que os sintomas dependem do local afetado e o grau de invasão tecidual.

Até o final dos anos 80 a  incidência de fibrossarcoma em gatos era muito baixa e afetava principalmente animais idosos. Porém a partir do início da década de 90, notou-se um grande aumento na incidência da doença. Sendo que destes casos, o maior número foi de casos de fibrossarcoma de origem cutânea e subcutânea, que se localizavam na região cervical dorsal e interescapular de felinos. Este aumento na incidência, coincidiu com o momento em que uma lei estadual tornou obrigatória a vacinação de gatos contra raiva no estado da Pensilvânia (EUA) em 1987, o que fez com que os veterinários  associassem a ocorrência destas neoplasias com a vacinação. Através de exames histopatológicos destes  tumores foi observado  no interior de algumas células, uma substância acinzentada sendo identificada como alumínio, que é uma das substâncias utilizadas como adjuvante nas vacinas aplicadas naquele período.

Porém, o  caráter esporádico do aparecimento dos sarcomas relacionados a vacinação não justifica essa teoria, pois analisando os relatos de incidência, observa-se que:

  • se 10.000 gatos recebem vacinas e somente um deles desenvolve fibrossarcoma,  parece correto atribuir o fato a uma reação individual do animal e não ao adjuvante vacinal. Sendo que a incidência desses tumores, relatada na literatura mundial é bastante variável. Alguns autores descrevem desde 1 caso de fibrossarcoma em 1.000 animais submetidos a vacinações em geral (0,1%) até 1 caso em 10.000 (0,01%).

Além disso, a formação de fibrossarcomas também tem sido observada após aplicações de outros medicamentos, que não contém adjuvantes. Neste caso, seria razoável supor que há uma predisposição talvez genética para o problema. Devido a estas controvérsias  sobre a origem, epidemiologia, patogenia, tratamento e prevenção dos sarcomas em local de aplicação dos felinos, em novembro de 1996 formou-se nos Estados Unidos a VAFSTF (Vaccine-Associeted Feline Sarcoma Task Force), uma associação de pesquisadores  com finalidade de coordenar estudos para tentar elucidar estas questões.

Estudos recentes sugerem uma associação causal entre aplicação de qualquer tipo de substância injetável e o desenvolvimento de fibrossarcoma, entre elas: antibióticos, corticóides, fluidoterapia subcutânea entre outros, e portanto houve uma mudança do termo utilizado para “Sarcoma  nos locais de aplicação nos gatos” e não mais Sarcoma pós-vacinal.

Em um determinado estudo, verificou-se que a administração repetida de vacinas sempre no mesmo local, aumenta  muito o risco de desenvolvimento de tumor. Uma aplicação poderia aumentar em até 50% o risco, comparando com a não aplicação. Duas aplicações aumentariam em 127% o risco e 3-4 aplicações aumentariam em 175% o risco.  Sendo que o desenvolvimento dessas neoplasias podem ocorrer de 3 meses até 3 anos da aplicação.

Até hoje não se tem absoluta certeza sobre a causa desses sarcomas mas sabemos que os sarcomas uma vez desenvolvidos são de manejo terapêutico difícil e pior, impossíveis de justificar a  proprietários cuidadosos. O tratamento de escolha é cirúrgico, com remoção do tumor com ampla margem de segurança (3 a 5 cm ao redor da tumor). Porém os sarcomas em local de aplicação não são fáceis de  remover pela dificuldade em delimitar suas margens, sendo a melhor chance de cura quando ocorre detecção precoce. Além disso, as recidivas locais podem ocorrer em 30 a 70% dos casos podendo ocorrer tão rápido quanto 2 semanas após o ato cirúrgico. Geralmente o pós-operatório é associado a quimioterapia ou até radioterapia, quando disponível. Os sarcomas devido a aplicações tendem a ser mais agressivos, com maior taxa de recidiva e metástases

Portanto a avaliação do risco x benefício sobre qualquer medicação injetável e todos os tipos de vacinas para felinos, devem ser pesadas cuidadosamente. Os  gatos que necessitem de aplicações injetáveis, devem ter a localização, via de aplicação, o nome do medicamento/vacina, fabricante e o lote anotados na ficha clínica, para que este local seja evitado em novas aplicações, bem como possam ser observadas alterações nestes determinados locais, principalmente em aplicações subcutâneas.

 

 

Maricy Alexandrino – Médica veterinária

©Este texto é um trabalho original do Autor e é protegido pela Lei de Direitos Autorais. Qualquer uso ou reprodução deste texto depende de prévia e expressa autorização do Autor

 

Referências Bibliográficas:

BRANDÃO, L.; Informe Técnico Merial –  Sarcomas pós-vacinais em Felinos

HUSTEAD, D.R.; Vacinação em Felinos – Technical Update Fort Dodge, Felinos – Update nº1

SOUZA, H.J.M. ; Coletâneas em Medicina e Cirurgia Felina, 1º ed. Rio de Janeiro: L.F Livros, 2003.

_________________________________________________

Como citar este artigo:

Alexandrino, Maricy. Sarcoma Felino em Local de Aplicação, em CliniPet Clínica Veterinária website. Disponível em <http://clinipet.com/informativos/1-clinicageral/38-sarcoma.htmll>

Extermínio de animais em Caruaru, Pernambuco, Brasil!

SÓ ONTEM EM CARUARU EXTERMINARAM 17 CÃES E 3 GATOS, O ORGÃO DE VETORES DA PREFEITURA DE CARAURU. POR FAVOR DIVULGUEM, A POPULAÇÃO ESTA REVOLTADA!!!!!!

DIVULGUEM, ESSE EXTERMINIO ESTA ACONTECENDO  EM CARUARU, PE. PROVOCADO PELO ORGÃO MUNICIPAL ” SETOR DE VETORES” QUE ERA PARA PROTEGER ESSE BICHINHOS, TIRAR DAS RUAS CASTRAR, VACINAR E DAR PARA ADOÇÃO, MAS AQUI ELES MATAM, TODA POPULAÇÃO ESTA REVOLTADA!!!! AJUDEM POR FAVOR , VAMOS JUNTOS FAZER VALER A LEI DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS!!!!!

 

 

VAMOS DIVULGAR EM MASSA, PESSOAL!!!!!

 

 

 

FONTE: FACEBOOK

Cão Lennox é sacrificado na Irlanda do Norte, uma das piores notícia, que já dei aqui no Lambidasmigas!

Cerca de 200 mil pessoas assinaram uma petição para salvar o cachorro.
A raça de Lennox, um pit-bull terrier, é ilegal em toda a Grã-Bretanha.”

Um cão celebridade foi sacrificado na Irlanda do Norte porque ele era um perigo para o público, disse o Conselho de Belfast nesta quarta-feira (11), apesar de uma grande campanha internacional na internet para salvá-lo.

Cerca de 200 mil pessoas assinaram uma petição para salvar Lennox. Sua dona travou uma batalha jurídica de dois anos para manter o animal vivo – ela dizia que ele era um cruzamento de bulldog e labrador, apesar da avaliação do Conselho dele como pit-bull terrier, ilegal na Grã-Bretanha.

Uma campanha on-line para salvar Lennox cresceu rapidamente e incluiu uma página de Facebook “curtida” por 110 mil pessoas, uma página no Twitter, @savelennox (veja em inglês), com 13 mil seguidores, uma petição, um site e um blog.

Os membros do grupo dos direitos dos animais Não Mate New York protestou contra o consulado britânico esta semana para a liberação Lennox, enquanto a conhecida instrutora norte-americana de cães Victoria Stilwell se ofereceu para adotá-lo.

O Conselho disse ter considerado outras opções, mas nenhum se mostrou viável porque “o especialista do Conselho descreveu o cão como um dos cães mais imprevisíveis e perigosos que ele tinha encontrado”.

Funcionários do órgão tinham sofrido “uma campanha longa de abuso” sobre a questão do cão, incluindo ameaças de morte, e tinham mantido contato com a polícia, acrescentou o comunicado.

Lennox foi apreendido em sua casa em 2010 com cinco anos, e a dona Caroline Barnes, desde então, travava uma batalha legal para tê-lo devolvido.

A Família Barnes publicou no site da campanha “Salvar Lennox” na semana passada: “A nossa preocupação e prioridade sempre foi o bem-estar do nosso amado menino”.

“Nós lutamos para ter Len de volta à nossa família desde o momento em que ele foi apreendido, mas fomos informados que a luta legal está no fim”.

“Meu coração está despedaçado”, escreveu um torcedor na página de Lennox Facebook depois que o cão foi sacrificado, enquanto outra comentou: “Lennox era um cachorro inocente que não foi morto por causa de sua raça, mas por seu visual”.

NOTA DO LAMBIDASAMIGAS: Meu dia acabou!!! Tenho vergonha de MUITOS seres humanos, que estão nesse planeta!!! “Ilegal?”…Ilegal, é assassinarem qq ser vivo, inocente, desprovido de auto-defesa, isso é ILEGAL!!!! ILEGAL é ser o verdadeiro monstro da estória!!!ILEGAL é não ter amor , no coração!!!

Fonte:http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/07/cao-lennox-e-sacrificado-na-irlanda-do-norte-mesmo-apos-campanha.html

Gatinho se esbalda em meio a mar de borboletas

Na última sexta-feira (6), o gatinho Lepa se deparou com uma cena inusitada: um mar de borboletas azuis. É claro que ele não conseguiu se conter e se esbaldou entre elas!

Lepa estava entediado quando, inesperadamente, se deparou com um grupo de borboletas azuis que constrastavam com o chão marrom, de terra.

Imediatamente, ele começou a tentar pegá-las. Porém, não teve sucesso: os insetos são mais rápidos e voam em alturas que o pequeno gato, de apenas seis meses, não consegue alcançar.

Mas o felino não desistiu da missão conseguir capturá-las tão facilmente.

Quando percebeu que não teria mais jeito, Lepa resolveu se juntar a elas em paz.

Aquele foi um dia de sorte para o jovem gatinho que jamais se esquecerá do espetáculo que presenciou e participou, em meio a centenas de borboletas.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

Fonte: http://entretenimento.r7.com/bichos

Passageiro denuncia irregularidades no transporte de animais em avião

     Gata apresentou problemas de comportamento após voo para Belém. Companhia aérea diz que está investigando o caso.

O diretor teatral Marcelo Gasparini e a esposa, que estavam se mudando de Campinas (SP) para Belém, decidiram trazer seus gatos através do serviço de transporte animal oferecido por uma companhia aérea. Para contratar o serviço, o casal pagou uma taxa de R$ 325, recebendo autorização para trazer um dos animais dentro da cabine do avião. O outro, por ser maior, foi levado no porão da aeronave.

Ao desembarcar na capital paraense, no último dia 27 de junho, Gasparini ficou revoltado ao constatar a situação em que estava a caixa de transporte e a gata. “A caixa estava toda quebrada, com fitas adesivas e lacres para segurar a grade protetora, além de estar pingando urina. E a minha gata estava muito assustada, mal deixou encostar nela”, lembra.

Caixa que transportava gato vinha de Campinas/São Paulo para Belém

Segundo Gasparini, ainda no aeroporto de Campinas, o casal já estava preocupado com o fato da gata ter que ir no porão do avião.  “Tentamos conversar com os funcionários mas não teve como levá-la na cabine. Mas eles nos garantiram que a gatinha teria tratamento especial, e a moça inclusive me pediu pra acompanhar o transporte até o bagageiro, e vi que realmente, levaram ela com todo o cuidado mesmo”, conta.

Ao fazer uma conexão em Brasília, Gasparini solicitou aos funcionários da companhia aérea que dessem água para a gata. “Primeiramente eles negaram, e também não permitiram que eu mesmo o fizesse. Mas aí insisti e eles acabaram deixando, e eu fui lá, e ela bebeu água da minha mão mesmo. A caixa estava em bom estado, ainda. A gatinha estava assustada, claro, mas um estresse comum de viagem”, explica.

Os problemas aconteceram a partir daí, segundo Gasparini. “Quando chegamos em Belém, ficamos aguardando instruções de como seria o desembarque dela, porque as caixas com animais não são trazidas pela esteira. Até que trouxeram em mãos a caixa toda quebrada, cheia de adesivos, com um buraco imenso, por onde ela poderia escapar a qualquer momento. Os funcionários me entregaram e foram embora sem dar explicações”, afirma.

Animal ficou assustado e ainda apresenta comportamento violento

Ao procurar a companhia aérea para fazer uma reclamação no aeroporto de Belém, Gasparini conta que não teve sucesso. “Uma moça registrou uma espécie de boletim de danificação de bagagem, mas nada além disso. Não houve reembolso, nem retratação. Pedi que eles me dessem outra caixa, mas eles disseram que eu teria que comprar uma caixa nova para depois, se fosse o caso, eles me reembolsarem”, comenta.

Animal apresentou alterações de comportamento

Mais do que o prejuízo financeiro, Gasparini diz que os danos psicológicos provocados no animal e a situação constrangedora vivida por ele e pela família, são irreparáveis. “Nossa família está estranhando o comportamento da gata, que até tentou atacar várias pessoas que são acostumadas a conviver com ela. É um processo muito triste, porque ela não permite uma aproximação, não deixa a gente fazer carinho, nem brinca, só fica dentro do armário. Eu fui lesado como consumidor, como tutor e como ser humano. O que a gente quer agora é que haja uma retratação, e queremos saber o que aconteceu. Se a empresa oferece este serviço, que o faça de forma satisfatória e comprometida”, ressalta.

De acordo com Gasparini, a companhia aérea entrou em contato dias após o ocorrido, somente depois que ele publicou reclamações e fotos do animal nas redes sociais e em um site que agrupa denúncias e reclamações de vários internautas.

Em nota, a TAM informou que adota todos os procedimentos de segurança necessários para o transporte de animais nas aeronaves. A companhia disse ainda, que está apurando o que ocorreu durante o transporte da gata, “que não sofreu nenhum dano físico”. A empresa afirma que já entrou em contato com o cliente para eventuais esclarecimentos.

Segundo o advogado Carlos Augusto Rezende Junior, os prejuízos financeiros neste caso são mínimos, se comparados ao dano moral sofrido pelo cliente enquanto consumidor e tutor de um animal de estimação. “Nesta situação há duas esferas de punição por dano moral, uma que diz respeito ao sofrimento que o tutor passou junto com o animal, porque existe uma relação afetiva entre eles, e a outra que compreende o aparente descaso da empresa com a situação, já que não houve nenhuma medida imediata para amenizar a situação, como a substituição da caixa, por exemplo”, explica.

Veterinária diz que animais devem ser tranquilizados antes de embarcar

Segundo a veterinária Josyanne Cristine Conceição, o transporte de felinos é muito complicado porque situações de estresse influenciam muito os gatos. “Se malas normais já saem danificadas no aeroporto, imagina um bicho de estimação. Por isso, o transporte de animais, especialmente de felinos, é muito complicado, eles podem ter uma sequela permanente”, afirma.

Sobre a alteração de comportamento que a gata do diretor Marcelo Gasparini apresenta atualmente, a veterinária diz que é uma questão fisiológica, e que o animal pode ter sofrido até mesmo uma parada cardiorrespiratória. “O ideal é que este animal passe por uma avaliação imediata. Assim como ela chegou com estresse, poderia ter outros problemas, especialmente problemas respiratórios. A mudança de comportamento pode ter sido por conta de uma parada cardiorrespiratória, que é comum em felinos por conta do estresse”, explica.

Em casos de viagem, a veterinária informa que os donos de animais devem pedir um laudo atestando que o bicho de estimação está em bom estado de saúde e com as vacinas atualizadas. “Na volta, o dono pode pedir para outro veterinário periciar o animal para atestar quaisquer mudanças de comportamento. O transporte de animais no avião, inclusive, deve ser feito com tranquilização”, explica Conceição.

Fonte: http://g1.globo.com/pa/para/noticia/2012/07/passageiro-denuncia-irregularidades-no-transporte-de-animais-em-aviao.html

Um homem e seu gato na estrada para a recuperação das drogas.

Recuperando vida toxicodependente James Bowen era em baixa na primavera de 2007. Em metadona como parte de um programa para desmamá-lo fora de heroína, ele foi mal raspando uma existência busking em Covent Garden de Londres, quando ele voltou para o seu alojamento para Tottenham em uma noite para encontrar um tom de gengibre na soleira da porta.

O moggy sarnento fina parecia tão solitário e desesperançado quanto James, que teve pena do animal e começou a alimentá-lo. Depois de uma busca local falhou em produzir um proprietário, James tomou a rua em, um arranjo que encheu tanto a necessidade nele como no gato, a quem ele batizou Bob.

Depois de uma infância dificultada pelo divórcio de seus pais e muito movimento ao redor, incluindo a emigração da Inglaterra para a Austrália, James tinha chegado a Londres, onde ele tocou em uma banda de rock e depois se desviou para uma vida de dependência de drogas alimentada por pequenos crimes. O que Bob ofereceu James foi a oportunidade de cuidar de outra criatura, uma responsabilidade que ele nunca tinha conhecido.

Com seus recursos limitados, James lentamente e amorosamente cuidadas até que Bob volta para a saúde. Ele cavou em sua pequena renda para alimentar Bob e se instalaram em uma existência de companheirismo, cujo único inconveniente foi a recusa de Bob para usar uma caixa de areia e insistência em ser desceu os cinco lances de escada do apartamento para ir até o banheiro.

… Há 8,6 milhões de gatos animais no Reino Unido … O custo de vida útil média de possuir um gato é £ 17.200 (pet Sainsbury seguro fig.)

Rotina de James era colocar Bob para o dia antes de sair no ônibus até a cidade para cantar e tocar seu violão para os turistas em Covent Garden.

Mas, em seguida, Bob começou a segui-lo e tornou-se cada vez mais difícil shoo-lo embora, especialmente porque não havia estradas perigosas a serem superadas. Um dia não havia nada a fazer senão colocar Bob em uma ligação improvisada e levá-lo junto. Bob viajou sentado sobre os ombros de James.

O problema era que tantos gato-bravo transeuntes parou para acariciar o animal que James chegou tarde em seu campo, xingando Bob secretamente para, assim, o que lhe custou um pouco de sua habitual £ 25-a-dia sas. Ele não poderia ter sido mais errado.

Dentro de minutos, as pessoas que normalmente têm caminhado por sem dar uma segunda olhada James foram prolongados para fazer um barulho do gato sentado serenamente no seu estojo de guitarra, ea maioria fez uma doação. Até o final do dia, ele acumulou mais de R $ 60.

Era o início de um fenômeno como turistas e viajantes apadrinhadas e Bob James, muitos trazendo iguarias para o gato. As pessoas estavam espantado em como placidamente Bob sentava-se durante todo o dia, muito feliz vendo o mundo passar por enquanto James ganhou a vida. Não que fosse sempre sem problemas, em um par de ocasiões Bob aparafusadas quando assustado, levando a uma perseguição frenética pelas ruas apinhadas.

Popularidade de Bob continuou quando James trocou de busking para vender a Big Issue, a revista produzida e vendida por moradores de rua. Essa mudança na direção era parte do crescente sentimento de James de uma necessidade de colocar sua vida em ordem, que ele coloca para baixo para a responsabilidade de cuidar de Bob, eo exemplo do gato ofereceu a possibilidade de uma segunda chance.

Permitiu James para fazer o empurrão final para acabar com sua dependência de drogas, passando o peru frio necessário para sair substitutos de heroína, e para consertar contatos rompidos com a família. O resultado final da influência de Bob veio quando um agente literário que passou a dupla todos os dias e os tinha visto no YouTube James sugeriu contar a sua história em um livro. O resultado é este conto comovente com uma mensagem de esperança de que terá um apelo especialmente para os obsessivos  por gatos, lá  de fora.

http://www.youtube.com/watch?v=WdAFjB7AeYA   VEJA O VÍDEO DE BOB E SEU DONO!!!!

Fonte: http://www.dailymail.co.uk/home/books/article-2122316/One-man-cat-road-recovery-A-STREET-CAT-NAMED-BOB-BY-JAMES-BOWEN.html#ixzz20AriC9HQ

Fonte 2 : youtube

Ex-produtor de Thiaguinho fala sobre cadela ferida.

O ex-produtor de Thiaguinho, José Manoel, despedido após jogar uma bomba que feriu a cadela Menina, falou com a reportagem doDomingo Espetacular (Record).

Por telefone, José assumiu que jogou a bomba, mas não tinha a intenção de ferir ninguém.

— Eu resolvi como ser humano e como homem. Tive uma atitude infantil, entendeu? Ocasionou isso, o que vem causando essa polêmica toda.

Segundo o produtor, ele soube do acidente com Menina por meio de um colega da equipe de Thiaguinho.

— Depois de alguns minutos um rapaz da minha equipe fala assim: “Alguém atacou bomba?”. Disse: “Ataquei. Por quê?”. Machucou uma cachorrinha. Falei: “Mentira, pelo amor de Deus, resolve isso aí, chama algum veterinário”.

José Manoel responderá por maus tratos a animais. A pena é de 3 meses a 1 ano de detenção e multa.

Menina se recupera bem em uma clínica veterinária em Campinas, interior de São Paulo, e, depois, será encaminhada para adoção.

Entenda o caso

No último sábado, José Manuel Giardini Sobrinho jogou uma bomba pela janela da van da produção de Thiaguinho, perto do hotel onde a equipe estava hospedada, em Campinas. Menina, que recebia cuidados de taxistas de um ponto de táxi da cidade, ficou ferida após bomba ter sido arremessada.

Ao saber do incidente, Thiaguinho demitiu seu produtor, que, nesta semana, assumiu a responsabilidade por ter arremessado o artefato.

Fonte:http://entretenimento.r7.com/bichos/noticias/

Mogi das Cruzes contará com unidade móvel para castração de animais.

 

Para agilizar o trabalho de castração de cães e gatos, a Prefeitura de Mogi das Cruzes irá contar com o reforço de uma Unidade Móvel de Esterilização e Educação em Saúde, que deverá ser utilizada em mutirões em diversos bairros do município. O processo de compra para aquisição do trailer foi finalizado no final da semana passada e a empresa vencedora foi Anhanguera Indústria e Comércio de Trailers Ltda.

A aquisição do novo equipamento faz parte de uma série de ações desenvolvidas pela atual administração na área de proteção e bem-estar animal. Sua principal proposta é visitar os bairros para fazer as castrações e orientar a população sobre posse responsável. “Algumas pessoas não têm condições de levar seu animal de estimação até o Centro de Controle de Zoonoses, que fica na Estrada de Santa Catarina. Por outro lado, também tínhamos dificuldade em ir até os bairros com toda a estrutura necessária para o procedimento”, explica o secretário municipal de Saúde, Paulo Villas Bôas de Carvalho.

O trailer da Unidade Móvel de Esterilização terá estrutura de alumínio e espaços específicos como sala de tricotomia (retirada de pelos na área de intervenção), sala de cirurgia e sala pós-cirúrgica totalmente equipados com macas, mesas e demais equipamentos necessários para a realização dos procedimentos cirúrgicos. “A fase atual é de adequação, por parte da empresa, às exigências da Resolução nº 2.111 do Conselho de Medicina Veterinária”, explica a diretora do Departamento Municipal de Vigilância em Saúde, Sylvia Maria Abrantes Gomes. O investimento na aquisição do equipamento está estimado em torno de R$ 140 mil.

HISTÓRICO – Desde o início de 2011, quando foi implantada a Câmara Técnica de Proteção e Bem Estar Animal, Mogi das Cruzes vem criando novas políticas públicas voltadas para a posse responsável e o bem estar dos animais. Além da aquisição de uma unidade para as castrações itinerantes, outra novidade é a elaboração do Código Municipal de Defesa e Bem Estar Animal. O anteprojeto foi elaborado por técnicos da Secretaria Municipal de Saúde, passou pela análise da Câmara Técnica de Proteção e Bem Estar Animal, formada por representantes de diferentes segmentos do poder público e sociedade civil, tramitou em diferentes setores da Administração Municipal e foi encaminhado à Câmara Municipal.

 

RJ – CRUELDADE NO CONDOMÍNIO BARRAMARES, Barra da Tijuca. Gatinho é covardemente chutado por morador.

Amigos,

Este gatinho mora há nos no Condomínio Barramares no bloco 8, além deste gatinho moram aqui no condomínio mais 3 gatos há 20 anos, são todos velhinhos, quase chegando ao fim da vida. A presença destes gatinhos no condomínio foi discutida em reunião com os morados, e foi a aprovada a presença deles em votação pela maioria dos moradores, isto conta em ata do condomínio.. Estes animais são cuidados por mim, e por outras protetores, são vacinados, castrados, se alimentam com ração de qualidade e tem toda a assistência veterinária.
Acontece que a paz destes bichanos chegou ao fim, o novo síndico, que foi eleito mês passado, de uma forma autoritária, desrespeitando a assembleia, aos moradores que estavam presentes, desrespeito os animais, quer retirar os gatos da garagem sem consultar os moradores e colocá-los os em um abrigo. Disse para mim e para outra protetora que ele é o síndico, e que quer tirar os gatos e ponto final, e que não vai consultar ninguém. Estes animais velhos e criados no Condomínio não aguentariam 1 semana em um abrigo, morreriam de trisreza e angustia. E o pior esta semana o dengoso, gatinho da foto, foi espancado por um morador, que se sentiu “protegido” . Este gatinho que foi chutado, a sua bexiga arriou, e foi retirado dele um 1 litro de líquido da sua barriga ele foi operado e graças a Deus não morreu. Eu peço a Todos que tem ONGS para que não aceitem estes animais, pois este cidadão que se sente superior a todos está ligando para todos os abrigos para desovar estes velhinhos!!!!!!E quem quiser adotar o DEngoso, ele tem 1 aninho, é felv e fiv negativo, está castrado ou qualquer um dos outros animais velhinhos, um de 20 anos, o outro de 18 anos e o outro de 12 anos, antes que sejam espancados por favor ligue para a REGINA 99223248.
Muito obrigada Rosana Guerra ( EStarei fora entre o dia 7 e 21 de julho)

O nome do síndico é Claudio Ponce, Mar de Marmara- bl8 – Não esqueça desse nome!!!!!!!

Por Rosana Guerra.

Você sabe como é produzido o “foie gras” (fígado gordo)?

Um dos “alimentos” mais cruéis do planeta na mira da mídia, de novo

Desde o último dia 02 de julho, domingo, é proibido produzir ou vender foie gras na Califórnia, EUA (veja aqui). A proibição reacendeu a polêmica sobre uma das iguarias mais polêmicas e antigas do mundo. Cultuado especialmente na França, o foie gras (fígado gordo) é um órgão propositalmente adoecido para que ganhe peso e gordura. Para deixar os fígados de gansos e patos maiores e mais gordurosos que o normal, os produtores proporcionam uma dolorosa alimentação forçada através de canos que vão direto ao estômago dos animais. Várias vezes ao dia.

Não bastasse a dor e o desconforto de ficar em gaiolas minúsculas por toda a vida e terem suas gargantas atravessadas por canos de ferro o dia todo, os animais sofrem ainda com a dor de ter o fígado doente e muito grande. No final, têm suas gargantas cortadas e são abertos para a retirada dos fígados gordurosos.

Campanha espanhola revela os horrores das fazendas de foie gras

Ontem, a ONG espanhola Igualdad Animal lançou uma campanha impressionante contra o foie gras. São vídeos e fotos em alta definição de investigações recentes da ONG na região da Catalunha. As investigações deram origem ao site www.granjasdefoiegras.org. O material impressiona pela alta qualidade das imagens que mostram, em detalhes, todo o horror envolvido neste tipo de “alimento”.

Fonte:http://vista-se.com.br